A ideia nasceu dos membros da Associação dos Antigos alunos do Colégio de São Bento "ASBA", que tinham como objetivo desenvolver uma campanha permanente para educar jovens carentes, moradores dos bairros da periferia de São Paulo.

Para tornar efetiva esta decisão, criou-se em 21 de março de 1959, a Fundação Lar de São Bento que teve como o seu mentor, o monge beneditino Dom Afonso Niessl O.S.B.

A finalidade da entidade era a de criação de lares, onde, em um ambienten saudável, os jóvens carentes pudessem receber orientação pedagógica, cristã e de ensino profissionalizante, habilitando-os ao exercício de uma atividade profissional no mercade de trabalho, na plena condição de cidadãos em uma sociedade democrática

Em 1960, o vigário da paróquia de Nossa Senhora da Candelária, da Vila Maria, cedeu a casa paroquial para abrigo e ensino de menores, implantando-se então a Casa Dom Macário (homenagem da fundação ao monge que de 1907 a 1943 trabalharam em prol dos pequenos engraxates e jornaleiros do centro da cidade.

Devido a uma permuta com uma área doada por Isabel Leonor Martins Combes, a Fundação Lar de São Bento tornou-se proprietária do terreno com 2.500m², onde, a partir de 1967, iniciaria a construção da sede própria da Casa Dom Macário, um loto de 3.300m² na Rua Amambaí, 1415 no bairo de Vila Maria.

Dessa data até 1972, a Casa Dom Macário funcionou precariamente em um barracão de madeira enquanto na frente do terreno ia-se construindo um prédio de 3.330m² de área para atender suas atividades educacionais.

Em 1973, em suas novas instalações,a Casa Dom Macário ministrava o ensino de primeiro grau e contava com as oficinas de marcenaria, tornearia e ajustagem mecânica. Desde então foi crescendo e ampliando seu atendimento, tendo em 1978 firmado convênio com a Prefeitura Municipal de São Paulo através da Secretaria do Bem Estar Social - FABES, pelo qual instituia o projeto CJ (centro de juventude) Casa Dom Macário, passando a prover 200 menores, com idade de 7 a 14 anos, com alimentação e atividades de complementação escolar.

Infelizmente, antes de ver a sua obra concluída, falece Dom Afonso Niessl O.S.B em 1989, mas não antes de plantar o seu espírito de perseverança no coração de seus ex-alunos que até hoje mantêm a entidade com a mesma determinação cristã que marcou a vida de seu fundador.

Em 1991 foi firmado convênio com SESI - Serviço Social da Industria, que se responsabilizou pelo ensino de 1º grau. No ano seguinte, em 1992, o SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial, também passou a apoiar a Casa Dom Macário através do Programa de Iniciação Profissional do Menor, com ensino profissionalizante nas oficinas que iam sendo instaladas.
Em 1993 já eram 350 adolescentes atendidos e a entidade visando estender o processo educativo a todas as famílias de seus alunos, lançou com o apoio do SENAI, o primeiro curso profissionalizante e de complemento escolar para adultos, no horário noturno e nos sábados.

No final de 1991, com a necessidade de oferecer melhores condições de atendimento a todos os seus alunos, foi retomada a construção do prédio que estava parado desde a morte de Dom Afonso, graças a campanhas beneficentes e a ajuda de novos colaboradores. Como resultado, foi possível em 1995, com o apoio do SESI, a implantação das primeiras classes do curso supletivo da 1ª a 4ª série do fundamenta e, em parceria com o SENAI, a instalação da sala de Telecurso, com o nível do 1º grau (5ª a 8ª série).

Ainda em 1995, a Casa Dom Macário firmou um novo convênio com a Prefeitura do Município de São Paulo, pelo qual, através do projeto SERCOM - Serviços Comunitários ampliava os seus cursos profissionalizantes para jovens e adultos, tendo o SENAI como parceiro, que passou a dar suporte técnico a esta nova atividade de ensino e a certificar os concluintes dos cursos.

No âmbito do projeto SERCOM, a Casa Dom Macário instituiu em 1998, dois novos cursos que atendem o setor terciário da economia, de acordo com as tendências recentes do mercado de trabalho: serviços administrativos e informática. Preocupada em dar continuidade ao processo educativo dos jovens que completam o curso fundamenta, a Casa Dom Macário instituiu em 1999, o telecurso para nível médio, ministrado pelo SESI no período noturno, passando a oferecer a seus estudantes o curso básico completo.

Com este mesmo propósito, a enteidade instituiu também em 1999, um programa de ensino profissionalizante para os alunos maiores de 14 anos, matriculados no 4º ciclo do curso fundamenta (7ª e 8ª séries), inscrevendo-os nas oficinas e possibilitando que cada aluno participe de quatro cursos, de sua livre escolha, no decorrer de um ano, inclusive com certificado do SENAI. Deste modo, os formandos do ensino fundamental, estão habilitados ao exercício profissional no mercado de trabalho.


Em 199, a entidade, em parceria com o SEBRAE-SP, ofereceu cursos de capacitação para micros e pequenos empresários que visavem proporcionar a estes profissionais condições básicas para criarem e consolidarem os seus próprios negócios em um mercado caracterizado por uma intensa concorrência. Completa-se assim o quadra das atividades de ensino profissionalizante da instituição que se volta mais do que nunca para a melhoria da qualidade, demonstrando que mesmo as escolas de ensino gratuíto, que atendem a parcela da população de nível inferior de renda, têm condições de buscar um grau de excelência no processo educacional. A partir do segundo semestre de 2001, a entidade ofereceu a adolescentes, com a idade superior a 16 anos, cursos de curta duração de iniciação profissional do FAT - Fundo de Amparo ao Trabalhador do Governo Federal.

Entre 2001 e 2004, firmou-se um convênio com o Programa de Alfabetização Solidária do Governo Federal, foram iniciados os cursos de alfabetização, com duração semestral, para maiores de 14 anos, que visam possibilitar o aprendizado de matemátiva, de português e de conhecimentos gerais, para os interessados em realizar cursos profissionalizantes, mas que apresentam deficiências graves de escrita, leitura e de cálculos matemáticos básicos, impedindo-os de acompanharem estas atividades pedagógicas de capacitação profissional ou de se matricularem no curso supletivo em nível fundamental
Com o Intuito de promover atividades de natureza cultural para os alunos da Casa Dom Macário, envolvendo ao mesmo tempo os jovens da comunidade da região de Vila Maria, foi firmado em 2000 até 2006 um convênio com a Secretaria de Cultura do Estado, em razão do qual foi criado com sede na entidade o Pólo Dom Macario do Projeto Guri que visa o desenvolvimento da música através da prática de instrumentos de orquestra e coral para crianças e adolescentes até 17 anos de idade.

Com esta mesma Secretaria foi celebrado no inicio de 2002 o convênio do Projeto ARquimedes e que vigora até os dias atuais oferencendo atividades lúdicas, abrangendo jovens na faixa etária de 7 a 14 anos
Em 2007 foi estabelecida parceria com a Universidade Paulista (UNIP), com o objetivo de orientar a equipe do Ação Família e a realização de trabalhos sociais com a comunidade.


Atualemte, a Casa Dom Macário oferece três grandes projetos sociais: Centro para Crianças e Adolescente (CCA), Centro de Desenvolivmento Social Produtivo (CEDESP) e Centro para Juventude (CJ).